A saúde oriental na sua mesa

30/10/2011 às 6:00 am | Publicado em alimentação | Deixe um comentário
Tags: , , , ,

afj,Pratos leves, com ingredientes saudáveis, bem equilibrados e nutritivos. A comida japonesa virou moda nos últimos anos e o aumento do número de restaurantes especializados é surpreendente. Bom para os ocidentais, com a oportunidade de se aproveitar de uma alimentação saborosa e ótima para a saúde que dá aos seus criadores uma longevidade ímpar no mundo.
E isso não é lenda. Pesquisa do Japanese-Brazilian Diabetes Study Group (JBDSG) mostra que houve um aumento de 23% para 36% no número de nipo-brasileiros com diabetes. No Japão, são apenas 7%, de acordo com a Atlas da Federação Internacional de Diabetes. Além disso, 20% dos japoneses são obesos no Brasil e apenas 10% em seu país de origem.
Mas qual o segredo?
O principal ingrediente é o peixe. “Os melhores para esse tipo de culinária são o salmão, atum, robalo, namorado, linguado. Este alimento é rico em proteínas e ômega 3, uma gordura especial que faz bem ao coração, reduzindo o colesterol e a pressão arterial.
A soja também tem um lugar importante na gastronomia japonesa. Como a carne vermelha não costuma fazer parte das receitas, o grão a substitui com qualidade. A carne de boi é uma boa fonte de ferro, mas sua ausência na culinária japonesa não é problema, pois a soja também é rica deste nutriente e consegue suprir a demanda sem dificuldade. Além disso, ela auxilia na redução do coleterol ruim (LDL) no sangue, o que evita o acúmulo de gordura nas artérias.
O chá-verde é outra especialidade oriental que caiu no gosto dos ocidentais. Assim como o gengibre e o shitake (cogumelo muito comum nos pratos japoneses, que contém ácido glutâmico, importante para o sistema imunológico), a bebida é antioxidante e combate os radicais livres, desacelerando o envelhecimento.

O consumo do peixe deve ser o ano todo

01/04/2010 às 5:19 am | Publicado em Data especial | Deixe um comentário
Tags: ,

Com a chegada da Semana Santa, o peixe invade as mesas dos brasileiros que nesta época do ano preferem não consumir a carne vermelha. Mas a ingestão do alimento rico em proteínas, e fonte de vitaminas e de ômega 3 não deve ficar restrito a Semana Santa, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o consumo de pelo menos 12 kg/ano por pessoa, mas esta média no Brasil não passa de 7Kg/ano.
Com baixo teor de gordura o pescado deveria ser consumido pelo menos duas vezes por semana, recomenda o nutrólogo Maximo Asinelli. Ele explica que a maioria dos peixes só traz benefícios para a saúde e garantem uma alimentação mais saudável e balanceada. “As gorduras totais nos peixes não ultrapassam os 20% e ironicamente os mais gordos acabam por trazer mais benefícios, já que terão maior quantidade de ômega 3, gordura poliinsaturada que auxilia no combate as doenças cardiovasculares”, afirma o nutrólogo.
O ômega 3 é um complexo que unido a outro tipo de gordura anula os efeitos prejudiciais dos ácidos graxos saturados, e por isso previne as doenças cardiovasculares e colabora com a redução da pressão arterial, taxas de triglicérides e colesterol no sangue. Os peixes que apresentam maior quantidade deste complexo são os de água salgada e fria, como o atum, bacalhau, sardinha e salmão, muito consumidos nesta época do ano.
Também são alimentos ricos em vitaminas e minerais, como cálcio, fósforo, ferro e sal, que permitem um melhor funcionamento dos órgãos e músculos, além das vitaminas A, responsável pela regeneração das células e funcionamento ideal dos nervos óticos, da vitamina D que auxilia na absorção do cálcio pelos ossos, e do complexo B que facilita a transformação dos alimentos em energia, além de auxiliar o crescimento e manutenção de pele e unhas.
Segundo o nutrólogo Maximo Asinelli o peixe é um alimento completo e rico em proteínas de alta qualidade, principalmente por conter aminoácidos essenciais ao organismo e terem um valor nutritivo levemente superior ao das carnes vermelhas. “O pescado é composto em 20% por proteínas que irão auxiliar no crescimento e formação do organismo, e nos peixes ainda há uma vantagem, pois estas proteínas são de alta digestabilidade, que irá favorecer todo o processo de digestão e será mais bem absorvido pelo organismo”, afirma.
Os pescados são ótimas fontes de proteínas e vitaminas, mas para o consumo seguro é essencial o cuidado na hora da compra deste alimento. Segundo o nutrólogo o pescado deve estar sempre fresco, deve-se conferir se o peixe está úmido e firme, sem manchas na pele ou na carapaça (no caso dos crustáceos), os olhos devem ser brilhantes e salientes, e as brânquias devem estar sempre úmidas, brilhantes e de cor intensa. “Com estes cuidados o peixe será sempre uma ótima fonte de proteína, que aliado ao consumo da carne vermelha e das aves, irá compor uma dieta saudável e fornecerá os elementos necessários para proteger e auxiliar o organismo na luta contra as doenças”, finaliza o nutrólogo Maximo Asinelli.

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.