Infância saudável, vida saudável

17/10/2011 às 7:09 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

obesidadeinfantil

A perda da guarda de dois filhos de um casal escocês foi notícia no mundo todo em outubro. Acusados de negligência, os pais foram punidos porque seus filhos, de 3 e 4 anos, caminhavam para obesidade mórbida, a exemplo de seus outro quatro irmãos (o mais velho, de 12 anos, tem 100 quilos). O mais novo tinha 25 quilos. A mãe, de 40 anos, tem mais de 145 quilos. O pai, de 53, pesa quase 115.
A polêmica reascendeu uma discussão já bastante conhecida da atualidade: as crianças obesas e os maus hábitos alimentares durante a infância. Quanto disso é culpa dos pais, das próprias crianças, da genética e do modo de vida moderno? E quando disso a criança leva para o resto da vida?
Freud disse, há mais de 100 anos, que é durante a infância que se moldam os comportamentos dos futuros adultos. O que os cientistas estão descobrindo atualmente é que, fisicamente, os problemas de saúde dos adultos também têm relação direta com maus hábitos durante a infância.

Opinião de especialista
Segundo a pediatra Raquel Rego, especialista em nutrologia da Clínica Asinelli, do Dr. Máximo Asinelli, a obesidade na infância e adolescência é um importante fator de risco para o desenvolvimento das doenças cardiovasculares na vida futura. “A presença de pelo menos um fator de risco para doenças do coração e vasculares, como pressão alta, colesterol alto, hiperinsulinemia ou aumento do hormônio controlador do açúcar sanguíneo, tem sido observada em 60% das crianças e adolescentes com excesso de peso”, explica.
Além de fatores genéticos, hábitos alimentares saudáveis são fundamentais. A criança que consome muito sal ou que bebe leite de vaca (que tem mais sódio do que o materno) tem o paladar estimulado para gostar de alimentos salgados durante sua vida toda e levar a uma sobrecarga renal durante a infância mesmo ou à hipertensão.
O leite de vaca não modificado pode causar também alterações metabólicas e obesidade em crianças menores de seis meses. “A Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde de 2006 mostrou que a média de tempo que a mãe amamenta no Brasil é de 2,1 meses. Se o mínimo de seis meses de amamentação exclusiva fosse respeitado, certamente teríamos adultos com menos doenças crônicas como diabetes, obesidade e hipertensão”, analisa Raquel.

O papel da alimentação
“A obesidade é certamente a maior vilã”, afirma. No entanto, não é raro, segundo a pediatra, que os pais dêem até salgadinhos e frituras para seus filhos de menos de um ano de idade: quase 10% dos bebês já têm acesso a esse tipo de alimento.
Como pediatra, ela indica que durante os seis primeiros meses a criança se alimente exclusivamente de leite materno, sem nem mesmo chá ou água. Depois desse período outros alimentos – como legumes, tubérculos, cereais, frutas e carnes – devem ser inseridos na dieta aos poucos, mas sem abandonar a amamentação.
Açúcar, café, corantes e produtos industrializados devem ser evitados ao máximo. “Eu também percebo que muitos pais tendem a dar muita comida a seus filhos, quando na verdade cada criança tem seu ritmo e seu nível de saciedade”, defende Raquel.

Doença de adulto em corpo de criança
Mas não é apenas quando adulto que as conseqüências de uma má alimentação se manifestam. Muitas crianças, de acordo com a pediatra, têm desenvolvido doenças de “gente grande”. A culpa é do estilo de vida moderno e urbano, que leva ao sedentarismo e a maus hábitos alimentares, podendo até mesmo agravar tendências genéticas.
Dentro desse contexto, é cada vez mais comum crianças terem dislipidemia (colesterol e triglicérides altos), hipertensão, diabetes, ansiedade e até mesmo depressão.
Uma pesquisa da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e da Universidade São Marcos, com apoio do ILSI (International Life Sciences Institute) revelou que 16% dos estudantes de 10 a 15 anos estão na faixa de sobrepeso e 10% estão obesos. Paralelamente, 81% dos alunos de escolas particulares e 65% dos alunos de escolas públicas realizam menos de dez minutos de atividade física por dia e se encaixam em um quadro de sedentarismo. “Enquanto a criança ficar em casa, durante o contraturno, jogando vídeo game e comendo inadequadamente, ela será obesa. E mesmo que não esteja acima do peso, a probabilidade de apresentar disfunções como a dislipidemia é grande, exceto por uma genética muito favorável”, diz Raquel.

Anúncios

Alimentação saudável é fundamental para boa realização de provas

14/10/2011 às 6:22 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

book_apple_elem

Final de ano é época de vestibular e de concursos importantes. Para se dar bem nessas provas, você  provavelmente estudou bastante durante o ano todo. Mas sobrou um tempo pra pensar na sua alimentação? Ela pode ser decisiva para melhorar a memória, a concentração, a oxigenação do cérebro e reduzir a ansiedade.

Carboidratos, proteínas e fibras são muito bem vindos durante todo o período de estudos porque trazem energia, mas sempre prefira alimentos integrais e lights. Divida esses nutrientes em pelo menos cinco pequenas refeições durante o dia. Água é indispensável, então a dica é sempre estudar acompanhado de uma garrafinha.

Uma dica básica é evitar alimentos pesados e gordurosos até 48 horas antes da prova, pela dificuldade de assimilação das toxinas e de digestão. Além disso, o direcionamento do fluxo sanguíneo para o aparelho digestório pode causar sonolência, o que compromete a atenção na prova. Também não arrisque comer em algum lugar desconhecido ou alimentos de procedência duvidosa, que podem causar mal estar e impedir a realização do exame.

Por outro lado, está terminantemente proibido ficar em jejum. Algumas pessoas pensam que assim evitam um possível mal estar, mas, ao contrário, estão se sujeitando à hipoglicemia, o que compromete o bom raciocínio. O ideal é tomar um café da manhã reforçado com leite ou iogurte, pão integral, queijo e frios leves e frutas.

Durante a prova, se possível, leve uma barrinha de chocolate ou de cereais. Além da energia que eles oferecem, eles diminuem a ansiedade e a sensação de fome, que pode gerar desconcentração durante o exame.

Quando o corpo e a comida são os vilões

12/10/2011 às 2:07 pm | Publicado em Doenças | Deixe um comentário
Tags: ,

anorexiacartoon“Você está magra!”. “Mas não custa perder mais um pouquinho de peso. Toda nutricionista tem mania de enfiar comida goela abaixo da gente, credo!”. O drama vivido por Renata, personagem de Bárbara Paz na novela Viver a Vida, é a realidade de muitas mulheres – e homens. Ela tem anorexia, um distúrbio alimentar e psicológico que atinge desde adolescentes até idosos, contabilizando entre 1 a 4% da população mundial.

O transtorno pode ter início com uma dieta comum, que “evolui” para o jejum e para a anorexia ou bulimia e leva à morte em 10% dos casos. O anoréxico se enxerga de forma distorcida, constrói uma imagem desproporcional de si mesmo, vê o prato de comida como ameaça ao objetivo de ficar magro. Na internet (e também na vida real), não é difícil encontrar meninas descontentes com seus 36kg, desculpando-se por terem comido “demais” e compartilhando comportamentos como o de provocar vômito, usar laxantes e diuréticos, contar calorias a todo momento, comer pouco e praticar muito exercício físico. Além disso, em geral são meninas que estão em algum estágio de depressão, se isolam socialmente e, claro, têm uma série de complicações causadas pela falta de nutrientes no organismo, como a interrupção da menstruação e a baixa na imunidade, por exemplo.

Trata-se de uma incapacidade emocional, uma disfunção muito delicada, não apenas um problema de vaidade. Querer ser magro e bonito é saudável, ainda mais considerando que a obesidade também é uma doença. O problema surge quando se passa a viver em função do peso e da comida. Nesses casos, o melhor tratamento é a reeducação alimentar, sempre com acompanhamento psiquiátrico e psicológico e apoio da família. Quanto antes for diagnosticado o distúrbio, melhor. O tratamento nutricional se inicia com uma dieta hipercalóricas e, quando o peso ideal é reestabelecido, o nutrólogo parte para uma alimentação saudável e equilibrada: o mínimo é de 1200 calorias por dia, distribuídas de forma saudável entre carboidratos, proteínas, frutas e legumes.

Leite pode ser causa de problemas comuns

10/10/2011 às 6:00 am | Publicado em bebidas | Deixe um comentário
Tags: , , , , , , ,

CA2FG9S3O leite de vaca pode ser um dos grandes influentes a reações alérgicas nas pessoas. Ele pode desencadear diversos problemas como diarréia, coceira, espirros, asma, bronquite, entre outras e, hoje, é um dos problemas que atinge até 2% da população.
O principal perigo são os sintomas que podem começar a surgir nas crianças. Atualmente, cerca de 8% das crianças até três anos de idade, possuem intolerância ou alergia à lactose. Quando a criança é muito nova e já consome leite de vaca, algumas reações podem aparecer. Nestes casos, a melhor solução é ver se o mal causado é devido ao leite e, se constatado, utilizar leite de soja.
Na maioria dos casos, a principal dificuldade é a falta de informação. A maioria das pessoas não sabe, ou nem procura saber, se possui algum tipo de problema relacionado ao leite, o que pode parecer até incomum. O fato é que a intolerância ou a alergia só passa a ser um problema quando agrava situações já existentes.
Nas crianças, a preocupação deve ser dobrada. Alergia e intolerância são coisas diferenciadas. A alergia é algo facilmente perceptível. Quando se fala de intolerância, o período de aparição das reações pode ser prorrogado, causando dificuldade de identificação do real problema e, por isso, devem ser relevados alguns pontos.
Nas alergias, podem ser identificados problemas respiratórios, inchaço nos olhos e nos lábios, espirros e tosses. Já os problemas relacionados à intolerância podem ser associados a dores abdominais, diarréia, gases e desconforto.
Nesta diversidade de casos, o correto é procurar um especialista e verificar se não existe nenhum outro tipo de alergia ou intolerância. É interessante que as pessoas saibam quais alimentos são apropriados ao seu consumo, pensando a partir do ponto de que nenhum organismo tem o mesmo funcionamento.

Afrodisíacos: verdades e mitos

07/10/2011 às 6:00 am | Publicado em alimentação | Deixe um comentário
Tags: , , ,

Dietas para abrir o apetite sexual flertam com a fantasia de que alguns ingredientes podem fazer milagres pela performance na cama. Que alimentos estimulam o desejo, porém, ninguém ainda conseguiu provar. Não existe nada comprovado sobre a eficácia dos chamados afrodisíacos, que seriam capazes de aumentar a libido. Alguns quitutes, porém, têm composição capaz de gerar benefícios que, somados, podem levar à melhora na capacidade sexual.
O amendoim, por exemplo, é proteico, energético e tem vitamina B3, que estimula a o processo de vasodilatação, facilitando a irrigação de sangue nos órgãos genitais. Mas ninguém deve, por exemplo, parar de tomar um remédio para ereção que esteja prescrito por médico e comer amendoim, pois não vai resolver.
A ostra, outro alimento apontado como nitroglicerina pura, é riquíssimo em zinco, que induz à produção de hormônios ligados ao sexo, facilitando a secreção vaginal. Nada que mexa com o desejo pela relação sexual.
O chocolate também é considerado um afrodisíaco. A fama se deve ao fato de o cacau ser rico em aminoácido, que produz oxido nítrico, que tem efeito vasodilatador. Isso poderia influenciar na ereção e no relaxamento da vagina, mas a quantidade que deveria ser consumida para produzir tal efeito é difícil mensurar.
O que se sabe é que a ingestão de chocolate aumenta a serotonina, melhorando o humor e provocando sensação de prazer, podendo deixar a pessoa mais propensa ao amor. Como o chocolate é um alimento energético também poderia deixar a pessoa com mais ânimo para o sexo.

Diferença entre nutrogenômica e nutrogenética?

05/10/2011 às 6:00 am | Publicado em Tecnologia | Deixe um comentário
Tags: , , ,

CAHKRAF5Cada vez mais surgem universos de alternativas para a manutenção de uma alimentação saudável. Atualmente, os estudos de caso da parte genética do corpo humano criam hemisférios muito diferentes do que conhecemos hoje, o que pode nos trazer um grande benefício.
Esses estudos, focados em duas linhas de pesquisa denominadas nutrogenômica e nutrogenética, podem gerar resultados específicos para este novo tipo de tratamento, o qual cria uma variável de acordo com cada pessoa. Esses métodos buscam compreender de que forma os estudos do gene podem contribuir para o nosso bem.
A nutrogenômica é um estudo particular do efeito que os nutrientes causam no funcionamento dos genes. Já a nutrogenética analisa a forma de como esses nutrientes são aproveitados pelo nosso organismo.
Essas novas impressões de análise pelos genes podem ser, e muito, satisfatórias e benéficas. A combinação desses dois tipos de estudo pode gerar novos métodos. Com isso, é possível criar dietas específicas a cada tipo de ser humano.
A utilização do mapeamento genético influi totalmente em alguns tipos de tratamento e podem identificar propensões futuras a doenças que uma pessoa pode ter. Como complemento, ainda, podem ser efetuadas prévias de nutrientes necessários no corpo e, assim, serem compensados com uma suplementação adequada.
Com tanta informação, o certo é se orientar com um médico especializado e seguir uma dieta de complementos pessoais. Dessa forma, o resultado será satisfatório e o seu corpo estará em ótimas condições de saúde.

O Poder do Chá Verde

03/10/2011 às 7:00 am | Publicado em bebidas | Deixe um comentário
Tags: , ,

reheAs virtudes Medicinais do Chá são de conhecimento milenar, especialmente seu efeito estimulante. Mas hoje a ciência está comprovando suas propriedades terapêuticas e cosméticas. E isso está acontecendo como chá verde, considerado atualmente um aliado a saúde por ser rico em flavonóides e catequinas substâncias antioxidantes que ajudam a neutralizar os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular precoce. A Sociedade Brasileira de Médicos Antroposóficos vai mais além e defende que consumir chá verde regularmente ajuda a prevenir alguns tipos de câncer, artrose, aterosclerose e outras doenças degenerativas. As virtudes do chá verde na prevenção do câncer vêm do fato de que ele é rico em bioflavonóides e catequinas, substâncias que bloqueiam as alterações celulares que dão origem aos tumores. Além desses fatores positivos ainda contém manganês, potássio, ácido fólico e as vitaminas C,K, B1 e B2, ajuda a prevenir doenças cardíacas e circulatórias por conter boa dose de tanino: o consumo diário desse chá diminui as taxas de LDL e fortalece as artérias e veias, mas as boas notícias continuam: esta comprovado que ele acelera o metabolismo e ajuda a queimar gordura corporal.   
O chá e o sol
Segundo estudos da Sociedade Americana de Química, testes iniciais indicam que o chá pode impedir os efeitos dos raios ultravioleta sobre a pele.
Os pesquisadores acreditam que substâncias químicas chamadas polifenóis, presentes no chá, podem proteger a pele contra a formação de câncer de pele à exceção do melanoma.
Os protetores solares protegem a pele por meio da absorção das substâncias químicas prejudiciais dos raios ultravioleta. Já os polifenóis encontrados no chá preto e no chá verde atuam depois que a pele é exposta a raios solares em excesso.

Maximo Asinelli na revista Viva Saúde

29/09/2011 às 7:29 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário


O nutrólogo Maximo Asinelli participou de uma consultoria na revista Viva Saúde, edição 102, que já está disponível nas bancas. O especialista participou da seção Falso ou Verdadeiro, dando dicas de saúde aos leitores.
Asinelli é especializado em Nutrologia, Vigilância Sanitária e Epidemiologia, médico Civil da Aviação com especialização no CEMAL (Centro de medicina Aeroespacial) e diretor da Clínica Asinelli em Curitiba-Pr. O médico também é membro da Rede Brasileira de estudos em Nutrigenômica, da ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia), da SBAN (Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, da SLAN (Sociedade Latino Americana de Alimentação e Nutrição) e da SBAF (Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais).

Saúde temperada

28/09/2011 às 7:00 am | Publicado em alimentação | Deixe um comentário
Tags: , , ,

agmjOs benefícios do alho vão muito além do sabor marcante que ele dá aos mais diversos pratos. Suas propriedades terapêuticas são inúmeras: desde redução nos níveis de colesterol e da pressão sanguínea, até sua capacidade antiinflamatória, vermífuga, anti-séptica. 
Penicilina russa, assim foi chamado o alho durante os períodos de guerra do início do século por ser um poderoso antiinfeccioso. A alicina e a garlicina, substâncias presentes no alho, possuem função anti-bacterianas e por conta de seus compostos sulfurados são normalmente eliminados pela respiração e transpiração, o que facilita sua ação no combate à infecções crônicas e agudas de pele.
A alicina também é capaz de inibir a bactéria causadora da úlcera e apontado como gatilho do câncer gástrico. O alho também é considerado diurético, hipotensor e antitérmico. Seu consumo, de forma terapêutica, pode auxiliar no tratamento contra gripes, resfriados e aftas, por exemplo, além de prevenir o usuário de tumores malignos. Indico o consumo de um dente de alho por dia, para diminuir o colesterol e a pressão arterial.
Cuidados
Atenção na hora de escolher o alho: as cabeças devem ser redondas, firmes e cheias. A parte externa precisa estar impecável e sem manchas e os dentes devem ser firmes, graúdos e unidos.
A armazenagem ideal  do alho deve ser em lugar fresco, preferencialmente frio, isso porque em lugar quente e úmido, há grandes chances de mofar e murchar.

A importância da alimentação para a saúde e bem-estar

26/09/2011 às 7:00 am | Publicado em alimentação, Suplementos | 1 Comentário
Tags: , , , , ,

gnhaerthBem-estar é mais do que simplesmente ter boa saúde. Trata-se de um estado de espírito, um sentimento que inspira cada aspecto da vida. É, por exemplo, ter energia e disposição do início ao final do dia para compartilhar momentos de qualidade sempre superior.
Alcançar o equilíbrio, estar mentalmente e fisicamente ajustado de modo que cada dia possa ser desfrutado da melhor forma possível, independente da idade. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), 70% das mortes nos países desenvolvidos são atribuídas aos Ataques Cardíacos, Câncer e Acidentes Vasculares (derrames). Mais de 50% das causas destas doenças estão relacionadas ao desequilíbrio nutricional. A taxa mundial de doenças letais como diabetes, hipertensão arterial, câncer, doenças coronarianas, acidentes vasculares e suas complicações esta crescendo numa progressão espantosa, bem como outros fatores significativos, que se somados a estas elevam e muito a sua morbidade, tais como: stress, poluentes ambientais e a pressão do dia a dia. Por isso garantir uma alimentação saudável está se transformando em um desafio quase intransponível nos centros urbanos. É aí onde entram os suplementos e os auxiliadores de controle de calorias.

« Página anteriorPróxima Página »

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.