Alimentos orgânicos: benefícios comprovados para o organismo

31/10/2011 às 7:00 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Modernidade. Aí está a grande vilã da alimentação, apontada por dez entre dez especialistas em nutrologia. A falta de tempo para as refeições, alimentos industrializados com muitos conservantes e corantes, os fast foods, o excesso de açúcar, o uso de pesticidas, os hormônios das carnes e o mercúrio dos peixes… Poderíamos elencar ainda vários outros fatores que contribuem, por meio da alimentação, para a debilitação da saúde. A intoxicação infelizmente é um problema grave: um estudo feito com recém-nascidos nos Estados Unidos detectou a presença de 287 substâncias químicas nos cordões umbilicais de milhares de bebês, 180 delas cancerígenas. O dado é preocupante porque estima-se que 50% da chance de ter câncer na vida seja determinado nos dois primeiros anos de vida.
Mas, sabendo desses problemas, quais as saídas para quem quer levar uma vida mais saudável?
Primeiramente, o básico: boas noites de sono, exercícios físicos regulares e uma dieta equilibrada à base de produtos naturais e orgânicos. Não tem segredo.
As maçãs orgânicas, por exemplo, apresentam melhor qualidade nutricional e sabor devido ao solo ter mais diversidade biológica e melhor matéria orgânica. Os tomates criados com fertilizantes orgânicos têm maiores concentrações de antioxidantes, assim como o espinafre orgânico apresenta mais flavonóides e de vitamina C e níveis mais reduzidos de nitratos do que o comum.

Anúncios

A saúde oriental na sua mesa

30/10/2011 às 6:00 am | Publicado em alimentação | Deixe um comentário
Tags: , , , ,

afj,Pratos leves, com ingredientes saudáveis, bem equilibrados e nutritivos. A comida japonesa virou moda nos últimos anos e o aumento do número de restaurantes especializados é surpreendente. Bom para os ocidentais, com a oportunidade de se aproveitar de uma alimentação saborosa e ótima para a saúde que dá aos seus criadores uma longevidade ímpar no mundo.
E isso não é lenda. Pesquisa do Japanese-Brazilian Diabetes Study Group (JBDSG) mostra que houve um aumento de 23% para 36% no número de nipo-brasileiros com diabetes. No Japão, são apenas 7%, de acordo com a Atlas da Federação Internacional de Diabetes. Além disso, 20% dos japoneses são obesos no Brasil e apenas 10% em seu país de origem.
Mas qual o segredo?
O principal ingrediente é o peixe. “Os melhores para esse tipo de culinária são o salmão, atum, robalo, namorado, linguado. Este alimento é rico em proteínas e ômega 3, uma gordura especial que faz bem ao coração, reduzindo o colesterol e a pressão arterial.
A soja também tem um lugar importante na gastronomia japonesa. Como a carne vermelha não costuma fazer parte das receitas, o grão a substitui com qualidade. A carne de boi é uma boa fonte de ferro, mas sua ausência na culinária japonesa não é problema, pois a soja também é rica deste nutriente e consegue suprir a demanda sem dificuldade. Além disso, ela auxilia na redução do coleterol ruim (LDL) no sangue, o que evita o acúmulo de gordura nas artérias.
O chá-verde é outra especialidade oriental que caiu no gosto dos ocidentais. Assim como o gengibre e o shitake (cogumelo muito comum nos pratos japoneses, que contém ácido glutâmico, importante para o sistema imunológico), a bebida é antioxidante e combate os radicais livres, desacelerando o envelhecimento.

Abacate: gordura do bem

28/10/2011 às 7:00 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Abacate. Alguns dizem que faz bem, outros que é muito gorduroso. Qual será a verdade sobre essa fruta?
O abacate é uma fonte rica de inúmeros nutrientes importantes ao organismo. Sua composição é extremamente interessante, porque contém quantidades altíssimas de vitaminas, fibras e ácido oléico (o mesmo encontrado no azeite, conhecido como gordura boa). Esse ácido é usado para prevenção de doenças crônicas, como cardiopatias, diabeste e dislipidemias, pois induz a redução do colesterol total (LDL e TAG) e favorece o colesterol bom, o HDL, além de ser anticoagulante. O abacate também é rico em cálcio, magnésio, fósforo, potássio e vitamina C.
No entanto, apesar de nutritivo, é preciso tomar cuidado com a fruta, que é extremamente calórica e pode gerar alguns quilinhos indesejados. A gordura, no entanto, não é problema para a saúde: o abacate não possui gordura saturada, e o ácido lipídico que ele contém é saudável e pode aumentar as taxas de HDL (colesterol bom) no organismo e, consequentemente, tem um papel importante na prevenção de doenças cardiovasculares. O ideal é comer três colheres de sopa por semana.
Além disso, ele é útil na prevenção de câncer de próstata e impotência e o caroço, moído, pode ser misturado ao leite e utilizado para resolver problemas renais, desinterias e doenças do aparelho reprodutor feminino, os corrimentos. O chá das folhas do abacate é altamente digestivo, estimulante e normaliza irregularidades da menstruação. Também serve para combater infecções na garganta, a rouquidão e a tosse. Mastigar as folhas frescas também tem bons resultados para curar afecções da boca, estomatites, ânsias, além de fortificar as gengivas e os dentes. Além de ser muito utilizado na cozinha do México e países da américa Latina, o avocado (abacate) é utilizado em molhos, saladas e até em sanduiches.

A alimentação dos diabéticos

26/10/2011 às 7:00 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

brigadeiro

Os diabéticos são um dos grupos que mais deve tomar cuidado com as doenças cardíacas. A doença causa sérios problemas de circulação, obstrui os vasos sanguíneos e pode causar infarto do miocárdio. Existem dois tipos de diabéticos: o tipo 1 ocorre principalmente em jovens e crianças e está relacionada à falta de produção de insulina suficiente pelo pâncreas; já a tipo 2 é mais comum em adultos, principalmente em obesos, e está relacionada a uma resistência de organismo à insulina produzida pelo pâncreas, fazendo com que não haja controle adequado das taxas de açúcar no sangue.
Normalmente, a obesidade é a principal influente para o surgimento da doença devido ao consumo excessivo de alimentos doces e carboidratos (que no sangue são transformados em açúcar). O fato é que a alimentação, hoje, não costuma fornecer o valor nutricional ideal para nosso organismo.
A alimentação é a chave para tudo. Recomenda-se que os diabéticos evitem açúcares, doces, pães, farinhas e massas em excesso, bem como bebidas com açúcar ou alcoólicas. Já quem conseguiu controlar a doença e está dentro do peso deve controlar os carboidratos, mas podem até usar pequenas quantidades de açúcares – sem nunca esquecer que as refeições devem ser sempre equilibradas.

Dicas para uma boa alimentação

24/10/2011 às 4:23 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

1. Peixe. Rico em Ômega 3, uma substância com diversos benefícios ao organismo, como a diminição do colesterol ruim (HDL) e o aumento do bom (LDL), a proteção contra doenças cardíacas e o estímulo ao desenvolvimento da atividade cerebral.

2. Laranja. Deve fazer parte diariamente do cardápio, pelo menos uma vez por dia, mesmo que seja na forma de suco. A vitamina C, proveniente da fruta, auxilia o organismo na absorção do ferro, tem a papel importante na defesa do organismo contra infecções, por aumentar a função bactericida no sangue e estimular a produção de anticorpos. Além disso, fortalece os vasos sanguíneos, os ossos e dentes e é um excelente antioxidante.

3. Frango. Assim como a carne do boi, a da galinha é rica em proteínas, mas com uma diferença muito importante: a quantidade de gorduras saturadas é muito menor. O frango possui todos os aminoácidos essenciais e grande quantidade de vitaminas, principalmente as do complexo B, como a B2 e a B12. Elas são essenciais para o metabolismo celular, pois atuam em processos energéticos, em funções do sistema nervoso, além de serem importantes para o estômago, intestino, pele, cabelo, olhos, boca e fígado.

4. Limão. Outra fruta rica em Vitamina C, o limão tem função de regular o organismo, ele otimiza a ação do sistema excretor, melhorando a eliminação de toxinas do corpo. Assim, fica mais fácil o controle do diabates, do colesterol, dos triglicerídeos e de substâncias que geram estresse, ansiedade e depressão.

5. Linhaça. Em sua composição você encontra gordura, fibras, proteína e carboidratos. Um detalhe importante, é que essa gordura apresenta boa quantidade de ácidos graxos (ômega 3 e 6), que combatem a obstrução das artérias, impedindo as doenças vasculares. Outro elemento muito interessante presente na linhaça é a lignana, que pode ajudar no combate ao câncer Além disso, a linhaça á riquíssima vitaminas A, B1, B6 e E, magnésio, potássio, zinco, cálcio, ferro, entre outros minerais.

6. Verduras escuras: couve, espinafre, agrião e rúcula, por exemplo. Possuem vitaminas A, B, C, ferro,ÁCIDO FÓLICO, cálcio e magnésio, elementos favoráveis ao sistema nervoso central e importantes para o controle da hipertensão arterial.

7. Alecrim. Na forma de chá, ele pode ser utilizado para combater o stress físico e mental, condições de depressão, a gota, o reumatismo, colesterol, dores de dente, estômago preguiçoso e até enxaquecas. Também é um ótimo tempero para carnes de porco, carneiro e peixe. Vinagres e óleos podem ser aromatizados com ele, mas é preciso ter cautela, e usar com moderação, pois o seu sabor é muito forte.

8. Alface. Boa para quem quer ter bom humor. Ela é rica em folato, cuja falta pode ocasionar quadros de depressão, confusão mental e cansaço; e no talo pode se encontrar a lactucina, que atua como um calmante natural.

9. Abacaxi. Uma fruta saborosa e muito nutritiva. Ela é rica em fibras, vitamina C, B1 e B6, além de minerais como ferro e magnésio. Assim como a polpa, a casca e o miolo da fruta podem ser utilizados em sucos. O abacaxi é bom para combater febre, dores de garganta e resfriados. A presença da enzima bromelina faz com que a fruta seja boa, por exemplo, para circulação saguínea, cicatrização e imunização.

10. Pão integral.  Se compararmos com o pãozinho tradicional, o integral contém quatro vezes mais fibra (que auxilia no bom funcionamento intestinal e no controle do colesterol), três vezes mais zinco (importante para saúde dos cabelos, pele e unhas e dos órgãos reprodutores), duas vezes mais ferro e 40% a menos de gordura.

1. Peixe. Rico em Ômega 3, uma substância com diversos benefícios ao organismo, como a diminição do colesterol ruim (HDL) e o aumento do bom (LDL), a proteção contra doenças cardíacas e o estímulo ao desenvolvimento da atividade cerebral.

2. Laranja. Deve fazer parte diariamente do cardápio, pelo menos uma vez por dia, mesmo que seja na forma de suco. A vitamina C, proveniente da fruta, auxilia o organismo na absorção do ferro, tem a papel importante na defesa do organismo contra infecções, por aumentar a função bactericida no sangue e estimular a produção de anticorpos. Além disso, fortalece os vasos sanguíneos, os ossos e dentes e é um excelente antioxidante.

3. Frango. Assim como a carne do boi, a da galinha é rica em proteínas, mas com uma diferença muito importante: a quantidade de gorduras saturadas é muito menor. O frango possui todos os aminoácidos essenciais e grande quantidade de vitaminas, principalmente as do complexo B, como a B2 e a B12. Elas são essenciais para o metabolismo celular, pois atuam em processos energéticos, em funções do sistema nervoso, além de serem importantes para o estômago, intestino, pele, cabelo, olhos, boca e fígado.

4. Limão. Outra fruta rica em Vitamina C, o limão tem função de regular o organismo, ele otimiza a ação do sistema excretor, melhorando a eliminação de toxinas do corpo. Assim, fica mais fácil o controle do diabates, do colesterol, dos triglicerídeos e de substâncias que geram estresse, ansiedade e depressão.

5. Linhaça. Em sua composição você encontra gordura, fibras, proteína e carboidratos. Um detalhe importante, é que essa gordura apresenta boa quantidade de ácidos graxos (ômega 3 e 6), que combatem a obstrução das artérias, impedindo as doenças vasculares. Outro elemento muito interessante presente na linhaça é a lignana, que pode ajudar no combate ao câncer Além disso, a linhaça á riquíssima vitaminas A, B1, B6 e E, magnésio, potássio, zinco, cálcio, ferro, entre outros minerais.

6. Verduras escuras: couve, espinafre, agrião e rúcula, por exemplo. Possuem vitaminas A, B, C, ferro,ÁCIDO FÓLICO, cálcio e magnésio, elementos favoráveis ao sistema nervoso central e importantes para o controle da hipertensão arterial.

7. Alecrim. Na forma de chá, ele pode ser utilizado para combater o stress físico e mental, condições de depressão, a gota, o reumatismo, colesterol, dores de dente, estômago preguiçoso e até enxaquecas. Também é um ótimo tempero para carnes de porco, carneiro e peixe. Vinagres e óleos podem ser aromatizados com ele, mas é preciso ter cautela, e usar com moderação, pois o seu sabor é muito forte.

8. Alface. Boa para quem quer ter bom humor. Ela é rica em folato, cuja falta pode ocasionar quadros de depressão, confusão mental e cansaço; e no talo pode se encontrar a lactucina, que atua como um calmante natural.

9. Abacaxi. Uma fruta saborosa e muito nutritiva. Ela é rica em fibras, vitamina C, B1 e B6, além de minerais como ferro e magnésio. Assim como a polpa, a casca e o miolo da fruta podem ser utilizados em sucos. O abacaxi é bom para combater febre, dores de garganta e resfriados. A presença da enzima bromelina faz com que a fruta seja boa, por exemplo, para circulação saguínea, cicatrização e imunização.

10. Pão integral.  Se compararmos com o pãozinho tradicional, o integral contém quatro vezes mais fibra (que auxilia no bom funcionamento intestinal e no controle do colesterol), três vezes mais zinco (importante para saúde dos cabelos, pele e unhas e dos órgãos reprodutores), duas vezes mais ferro e 40% a menos de gordura.


Barra de cereal: é tudo o que diz ser?

21/10/2011 às 12:10 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

 

Práticas, rápidas e dinâmicas. Podem ser carregadas no bolso, em pequenos espaços e consumidas em pouco tempo. Realmente as barras de cereais têm ganhado espaço nas refeições dos brasileiros. Introduzidas há aproximadamente uma década, as barras chegaram como uma alternativa saudável. Primeiramente ganharam adeptos no mundo do esporte radical, com o tempo conquistaram até executivos de banco.
Mas deve-se tomar cuidado: as barrinhas podem ser práticas, mas é ilusão acreditar que são boas fontes de energia quando substituem uma refeição. Elas não têm a qualidade nutritiva de um prato de comida normal, portanto devem ser ingeridas no meio da tarde ou da manhã, ou antes, de um exercício físico, por exemplo. A ideia de que elas são saudáveis também não corresponde totalmente à realidade, visto que contêm uma quantidade grande de açúcar e gorduras. Outro ponto a se ressaltar é que se devem priorizar alimentos naturais. As barrinhas servem bem para “quebrar um galho” entre as refeições, mas exagerar no consumo de industrializados nunca é bom.

Cuidados com seu corpo para o verão

19/10/2011 às 11:14 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

cintura

A maioria das pessoas passa o ano inteiro na academia só pensando no verão. Mas quando as temperaturas começam a aumentar, quem está realmente contente com o corpo? Sempre tem aquele detalhe mínimo pra acertar: uma estria aqui, uma celulite ali, aquela barriguinha que insiste em não ir embora. Mas, graças à tecnologia, existem atualmente métodos fáceis e rápidos de reparar esses probleminhas.
A massoterapeuta Alessandra Ferreira, da Clínica Asinelli, explica que em poucas sessões de massagem modeladora, por exemplo, é possível modelar a gordura, dando a impressão de redução de medidas. “Em aproximadamente seis sessões já dá pra ‘criar’ uma cinturinha e acabar com a gordurinha localizada”, diz. Outros tratamentos muito procurados são a drenagem linfática e a corrente russa. A primeira, por melhorar a circulação, diminuir a retenção de líquidos e eliminar toxinas, além de diminuir o inchaço, também faz bem para a saúde. A segunda tonifica os músculos e combate a flacidez, e tem efeitos ainda melhores quando acompanhada de musculação.
Além de emagrecimento e definição do corpo, Alessandra afirma que é importante cuidar da pele. “O sol é fundamental, mas maltrata, seca e mancha a pele, se exposta em excesso, nos horários errados e sem os devidos cuidados”, explica Alessandra. Por isso é importante também selecionar bem o profissional que vai realizar os tratamentos: o uso de produtos inadequados pode potencializar a ação danosa do sol.
Para o rosto, ela indica limpeza de pele, já que a estação propicia a formação de cravos e espinhas e o acúmulo de oleosidade e impurezas. A esfoliação no corpo todo, por retirar as células mortas, ajuda no bronzeamento. Já o peeling deve ser evitado: “mesmo o peeling mais superficial e menos agressivo, deixa a pele muito sensível, pois envolve muita química”, explica. E ela completa: “Química e sol são coisas que não combinam”.

Infância saudável, vida saudável

17/10/2011 às 7:09 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

obesidadeinfantil

A perda da guarda de dois filhos de um casal escocês foi notícia no mundo todo em outubro. Acusados de negligência, os pais foram punidos porque seus filhos, de 3 e 4 anos, caminhavam para obesidade mórbida, a exemplo de seus outro quatro irmãos (o mais velho, de 12 anos, tem 100 quilos). O mais novo tinha 25 quilos. A mãe, de 40 anos, tem mais de 145 quilos. O pai, de 53, pesa quase 115.
A polêmica reascendeu uma discussão já bastante conhecida da atualidade: as crianças obesas e os maus hábitos alimentares durante a infância. Quanto disso é culpa dos pais, das próprias crianças, da genética e do modo de vida moderno? E quando disso a criança leva para o resto da vida?
Freud disse, há mais de 100 anos, que é durante a infância que se moldam os comportamentos dos futuros adultos. O que os cientistas estão descobrindo atualmente é que, fisicamente, os problemas de saúde dos adultos também têm relação direta com maus hábitos durante a infância.

Opinião de especialista
Segundo a pediatra Raquel Rego, especialista em nutrologia da Clínica Asinelli, do Dr. Máximo Asinelli, a obesidade na infância e adolescência é um importante fator de risco para o desenvolvimento das doenças cardiovasculares na vida futura. “A presença de pelo menos um fator de risco para doenças do coração e vasculares, como pressão alta, colesterol alto, hiperinsulinemia ou aumento do hormônio controlador do açúcar sanguíneo, tem sido observada em 60% das crianças e adolescentes com excesso de peso”, explica.
Além de fatores genéticos, hábitos alimentares saudáveis são fundamentais. A criança que consome muito sal ou que bebe leite de vaca (que tem mais sódio do que o materno) tem o paladar estimulado para gostar de alimentos salgados durante sua vida toda e levar a uma sobrecarga renal durante a infância mesmo ou à hipertensão.
O leite de vaca não modificado pode causar também alterações metabólicas e obesidade em crianças menores de seis meses. “A Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde de 2006 mostrou que a média de tempo que a mãe amamenta no Brasil é de 2,1 meses. Se o mínimo de seis meses de amamentação exclusiva fosse respeitado, certamente teríamos adultos com menos doenças crônicas como diabetes, obesidade e hipertensão”, analisa Raquel.

O papel da alimentação
“A obesidade é certamente a maior vilã”, afirma. No entanto, não é raro, segundo a pediatra, que os pais dêem até salgadinhos e frituras para seus filhos de menos de um ano de idade: quase 10% dos bebês já têm acesso a esse tipo de alimento.
Como pediatra, ela indica que durante os seis primeiros meses a criança se alimente exclusivamente de leite materno, sem nem mesmo chá ou água. Depois desse período outros alimentos – como legumes, tubérculos, cereais, frutas e carnes – devem ser inseridos na dieta aos poucos, mas sem abandonar a amamentação.
Açúcar, café, corantes e produtos industrializados devem ser evitados ao máximo. “Eu também percebo que muitos pais tendem a dar muita comida a seus filhos, quando na verdade cada criança tem seu ritmo e seu nível de saciedade”, defende Raquel.

Doença de adulto em corpo de criança
Mas não é apenas quando adulto que as conseqüências de uma má alimentação se manifestam. Muitas crianças, de acordo com a pediatra, têm desenvolvido doenças de “gente grande”. A culpa é do estilo de vida moderno e urbano, que leva ao sedentarismo e a maus hábitos alimentares, podendo até mesmo agravar tendências genéticas.
Dentro desse contexto, é cada vez mais comum crianças terem dislipidemia (colesterol e triglicérides altos), hipertensão, diabetes, ansiedade e até mesmo depressão.
Uma pesquisa da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e da Universidade São Marcos, com apoio do ILSI (International Life Sciences Institute) revelou que 16% dos estudantes de 10 a 15 anos estão na faixa de sobrepeso e 10% estão obesos. Paralelamente, 81% dos alunos de escolas particulares e 65% dos alunos de escolas públicas realizam menos de dez minutos de atividade física por dia e se encaixam em um quadro de sedentarismo. “Enquanto a criança ficar em casa, durante o contraturno, jogando vídeo game e comendo inadequadamente, ela será obesa. E mesmo que não esteja acima do peso, a probabilidade de apresentar disfunções como a dislipidemia é grande, exceto por uma genética muito favorável”, diz Raquel.

Alimentação saudável é fundamental para boa realização de provas

14/10/2011 às 6:22 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

book_apple_elem

Final de ano é época de vestibular e de concursos importantes. Para se dar bem nessas provas, você  provavelmente estudou bastante durante o ano todo. Mas sobrou um tempo pra pensar na sua alimentação? Ela pode ser decisiva para melhorar a memória, a concentração, a oxigenação do cérebro e reduzir a ansiedade.

Carboidratos, proteínas e fibras são muito bem vindos durante todo o período de estudos porque trazem energia, mas sempre prefira alimentos integrais e lights. Divida esses nutrientes em pelo menos cinco pequenas refeições durante o dia. Água é indispensável, então a dica é sempre estudar acompanhado de uma garrafinha.

Uma dica básica é evitar alimentos pesados e gordurosos até 48 horas antes da prova, pela dificuldade de assimilação das toxinas e de digestão. Além disso, o direcionamento do fluxo sanguíneo para o aparelho digestório pode causar sonolência, o que compromete a atenção na prova. Também não arrisque comer em algum lugar desconhecido ou alimentos de procedência duvidosa, que podem causar mal estar e impedir a realização do exame.

Por outro lado, está terminantemente proibido ficar em jejum. Algumas pessoas pensam que assim evitam um possível mal estar, mas, ao contrário, estão se sujeitando à hipoglicemia, o que compromete o bom raciocínio. O ideal é tomar um café da manhã reforçado com leite ou iogurte, pão integral, queijo e frios leves e frutas.

Durante a prova, se possível, leve uma barrinha de chocolate ou de cereais. Além da energia que eles oferecem, eles diminuem a ansiedade e a sensação de fome, que pode gerar desconcentração durante o exame.

Quando o corpo e a comida são os vilões

12/10/2011 às 2:07 pm | Publicado em Doenças | Deixe um comentário
Tags: ,

anorexiacartoon“Você está magra!”. “Mas não custa perder mais um pouquinho de peso. Toda nutricionista tem mania de enfiar comida goela abaixo da gente, credo!”. O drama vivido por Renata, personagem de Bárbara Paz na novela Viver a Vida, é a realidade de muitas mulheres – e homens. Ela tem anorexia, um distúrbio alimentar e psicológico que atinge desde adolescentes até idosos, contabilizando entre 1 a 4% da população mundial.

O transtorno pode ter início com uma dieta comum, que “evolui” para o jejum e para a anorexia ou bulimia e leva à morte em 10% dos casos. O anoréxico se enxerga de forma distorcida, constrói uma imagem desproporcional de si mesmo, vê o prato de comida como ameaça ao objetivo de ficar magro. Na internet (e também na vida real), não é difícil encontrar meninas descontentes com seus 36kg, desculpando-se por terem comido “demais” e compartilhando comportamentos como o de provocar vômito, usar laxantes e diuréticos, contar calorias a todo momento, comer pouco e praticar muito exercício físico. Além disso, em geral são meninas que estão em algum estágio de depressão, se isolam socialmente e, claro, têm uma série de complicações causadas pela falta de nutrientes no organismo, como a interrupção da menstruação e a baixa na imunidade, por exemplo.

Trata-se de uma incapacidade emocional, uma disfunção muito delicada, não apenas um problema de vaidade. Querer ser magro e bonito é saudável, ainda mais considerando que a obesidade também é uma doença. O problema surge quando se passa a viver em função do peso e da comida. Nesses casos, o melhor tratamento é a reeducação alimentar, sempre com acompanhamento psiquiátrico e psicológico e apoio da família. Quanto antes for diagnosticado o distúrbio, melhor. O tratamento nutricional se inicia com uma dieta hipercalóricas e, quando o peso ideal é reestabelecido, o nutrólogo parte para uma alimentação saudável e equilibrada: o mínimo é de 1200 calorias por dia, distribuídas de forma saudável entre carboidratos, proteínas, frutas e legumes.

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.