Tratamento para hipotireoidismo é feito a base de reposição hormonal

29/11/2010 às 4:45 am | Publicado em Doenças | Deixe um comentário

Segundo Maximo Asinelli, nutrólogo e diretor da clínica Asinelli, o tratamento para o hipotereoidismo é feito através da reposição hormonal, com comprimidos ingeridos via oral. Na maioria dos casos o paciente precisa tomar a medicação por toda a vida, mas em algumas pessoas a tireóide volta a funcionar normalmente após alguns meses de tratamento. “Se o problema não for tratado adequadamente, a doença pode causar sérios danos e levar o paciente até a morte”, acrescenta.

Hipotireoidismo não causa obesidade

26/11/2010 às 4:43 am | Publicado em Doenças | 2 Comentários

Entres os principais sintomas do hipotireoidismo estão ganho de peso, depressão, intestino preso, menstruação irregular, dores musculares, pele seca, queda de cabelo, desaceleração dos batimentos cardíacos, cansaço excessivo, problemas na memória e aumento de colesterol. “É importante destacar que o hipotireoidismo não causa obesidade. Apesar de o metabolismo ser prejudicado e ficar mais lento, o apetite também diminui. O inchaço, devido ao acúmulo de líquidos no corpo, é que provoca o ganho de peso”, observa Maximo Asinelli, nutrólogo e diretor da clínica Asinelli.

Hipotireoidismo pode ser causado pelo sistema imunológico

25/11/2010 às 12:43 pm | Publicado em Doenças | Deixe um comentário

O hipotireoidismo é considerado a doença mais comum na tireóide e pode ser causado por diversos fatores. Tratamentos médicos que alteram a capacidade de produção da glândula – como o uso de iodo radioativo ou a cirurgia para retirada da glândula -, medicamentos, doenças na hipófise ou a doença de Hashimoto, inflamação causada pelo sistema imunológico que reduz o tamanho da tireóide até que ela perca sua função, são alguns exemplos. “O hipotireoidismo também pode surgir em recém-nascidos. Neste caso a tireóide não se desenvolve corretamente e a criança sofre com a deficiência dos hormônios. O problema pode ser diagnosticado através do teste do pezinho e é chamado de hipotireoidismo congênito”, afirma Maximo Asinelli, nutrólogo e diretor da clínica Asinelli.

Hormônios da tireóide influenciam desenvolvimento do feto

24/11/2010 às 12:41 pm | Publicado em Doenças | Deixe um comentário

Os hormônios da tireóide são responsáveis pelo metabolismo dos açúcares e gorduras no organismo, além de atuarem em vários sistemas e órgãos como o pulmão, coração, músculos, ossos, pele, cabelo, fígado e intestino. “Eles também estão ligados ao desenvolvimento do feto, a fertilidade e aos ciclos menstruais no corpo feminino. Os baixos níveis do T3 e do T4 geralmente são diagnosticados através de exame de sangue simples, o qual aponta a quantidade dos hormônios, inclusive do TSH”, ressalta Maximo Asinelli, nutrólogo e diretor da clínica Asinelli.

Hipertireoidismo pode ser tratado com medicamentos

23/11/2010 às 4:18 am | Publicado em Doenças | Deixe um comentário

Descobertas feitas por endocrinologistas permitem um diagnóstico mais preciso e a recomendação de um tratamento adequado para os casos de hipertireoidismo. “Existem vários tratamentos para normalizar a produção dos hormônios pela tireóide. De acordo com o caso é recomendado o uso de medicamentos, a cirurgia ou o uso de iodo radioativo – substância que destrói total ou parcialmente a glândula”, pontua o médico nutrólogo Maximo Asinelli.

Conheça a paralisia periódica hipocalêmica tireotóxica

22/11/2010 às 2:16 am | Publicado em Doenças | Deixe um comentário

Segundo estudos feitos pelos endocrinologistas Magnus Régios Dias da Silva e Rui Monteiro de Barros Maciel, ambos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), constataram que a paralisia periódica hipocalêmica tireotóxica é resultado de um defeito genético que ocorre simultaneamente com o hipertireoidismo. O problema acaba quando a produção dos hormônios é controlada. “Antes acreditava-se que a paralisia atingia apenas japoneses e chineses, mas estes estudos demonstraram que ela também pode ocorrer na população ocidental, já que muitos são descendentes de asiáticos”, acrescenta o nutrólogo Maximo Asinelli.

Saiba os sintomas do hipertireoidismo

21/11/2010 às 3:03 am | Publicado em Doenças | 1 Comentário

A tireóide é localizada no pescoço e tem o formato de uma borboleta e quando suas funções são alteradas, os sintomas podem ser graves. No caso do hipertireoidismo – excesso da produção de hormônios – , a pessoa sente fraqueza muscular, tremores nas mãos, taquicardia, cansaço, fadiga, perda de peso excessiva, diarréia, irritabilidade, ansiedade, problemas nos olhos e até infertilidade. “O excesso da produção de hormônios pode ser causado, entre outros motivos, quando os anticorpos do organismo atacam a própria glândula, levando ao crescimento e funcionamento exagerado da tireóide”, esclarece o nutrólogo Maximo Asinelli.

Hipertireoidismo e alterações genéticas podem causar paralisia

20/11/2010 às 2:14 am | Publicado em Doenças | Deixe um comentário

De acordo com o nutrólogo Maximo Asinelli, estudos feitos pelos endocrinologistas Magnus Régios Dias da Silva e Rui Monteiro de Barros Maciel, ambos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), apontam que uma alteração genética associada ao hipertireoidismo pode causar um tipo de paralisia momentânea. “A perda de força repentina acomete principalmente as pernas, impedindo o paciente de levantar ou andar. É a chamada paralisia periódica hipocalêmica tireotóxica, que atinge aproximadamente 0,1% das mulheres e 1% dos homens com hipertireoidismo”, afirma.

Hormônios produzidos pela tireóide são responsáveis pelo metabolismo do corpo

19/11/2010 às 5:57 am | Publicado em Diversos | 1 Comentário

De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), cerca de 10% das mulheres com idade acima dos 40 anos de idade e 20% das com mais de 60 anos sofrem com algum problema na glândula tireóide. Produção insuficiente (hipotireoidismo) ou em excesso (hipertireoidismo) dos hormônios T3 e T4 são as doenças mais comuns. “Estes hormônios são responsáveis pelo metabolismo do corpo. Eles determinam a forma como o corpo armazena e gasta energia”, explica o nutrólogo Maximo Asinelli.

Soja reduz sintomas da menopausa

18/11/2010 às 5:04 am | Publicado em alimentação, mulher | Deixe um comentário

Na menopausa os riscos da osteoporose ficam ainda mais acentuados nas mulheres. Por isso é importante consumir alimentos ricos em fibras, como hortaliças, frutas e legumes, leite e seus derivados para aumentar a quantidade de cálcio e praticar exercícios físicos. “A soja e seus derivados, ricos em isoflavonas, ajudam a reduzir os sintomas tão característicos da menopausa, como os calorões. Alimentos como aveia, gergelim, linhaça, germe de trigo, frutas, verduras e legumes são extremamente importantes e devem estar presentes na dieta feminina por toda a vida”, ressalta Maximo Asinelli, nutrólogo e membro da Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais.

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.